2019?

Começo este texto criticando fortemente os governantes: “Tudo que vem dos três poderes – Executivo, Legislativo e Judiciário, é ineficiente e muito caro para a sociedade sofrida, desamparada e assaltada”.

Possuímos na república trêspoderes contraditórios e fora de suas atribuições. O judiciário trabalha comose fosse o poder executivo e legislativo; o executivo legisla pelo congresso e o legislativo somente vaidades e interesses pessoais.

O povo brasileiro está enfrentando a mais forte e duradoura das recessões da nossa história. Somos 35 milhões de desempregados. Somos 66 milhões de devedores. Destes, 30 milhões não têm condições de pagar a dívida. No entanto, enquanto as indústrias fecham as portas e outras reduzem a produção por não ter consumidor com consequente fechamento brutal do comércio e serviços, os grandes bancos que não mais empregam têm um lucro médio trimestral de R$ 4,5 Bilhões. Incrível!

A Inflação

Indicadores publicados na mídia escrita e falada oriundos de órgãos e entidades que os elaboram através depesquisas, indicam uma inflação baixíssima.

Será que estes organismos já foram aos postos de combustíveis? Será que já foram aos supermercados? Será que utilizam o transporte dito público? Será que estão desempregados? Acredito que não!

(crédito charge Humor Político)

É impossível para quem já viveu tempos de hiperinflação entender e acreditar no que está sendo transmitido para a população. Será que entendem que qualquer aumento de preço fere mais os pobres? Não! Não entendem. Avaliam, pesquisam e comparam com o seu próprio bolso. Bolso rico que não sofre as consequências da elevação de preços.

A inflação para 2019 deve ficar no patamar estipulado pelo Bacen.      

Mas fica uma dúvida, “você conhece e sabe como é elaborado o índice de inflação?” Se sabe faça as contas, senão com certeza está sendo manipulado e enganado, mesmo sabendo ou não a apurar o indicador.

O PIB – Riqueza produzida pelo país

Todos conhecemos o resultado das eleições realizadas em 2018.

No entanto, o mercado precisa de declarações de ações mais rápidas do vencedor do pleito eleitoral de forma a estimular a iniciativa de investimentos nacionais e internacionais.

Quanto mais postergar as ações, o que está acontecendo atualmente, tais indefinições reduzirão a possibilidade de crescimento em 2019.

Conforme especialistas, o PIB potencial, ou seja, o ritmo de crescimento de longo prazo, está próximo 2% doque de 2,5% – pelos meus levantamentos e análises não passará de 1,7%. Portanto, o crescimento nos próximos 2 anos necessita de ajustes econômicos emergenciais e implementação de reformas que aumentem a produtividade da economia, elevando o produto interno bruto.

Infelizmente, até o momento, não temos nada de concreto apresentado pelo novo e futuro dirigente da nação para o biênio 2019/2020.

O Crédito para o Consumo

Os financiamentos reduzidos são os obstáculos mais claros para a expansão do crédito. A liberação deste só vai acelerar se as instituições financeiras aumentarem estas linhas no próximoano e avaliarem com menos rigor a concessão.

As instituições financeirascontinuam muito seletivas e criteriosas ao ofertar crédito, em especial para as empresas, segmento que apresentou elevado número de renegociações de dívidas.

Para este segmento o risco ainda é muito grande em face das incertezas políticas e econômicas para o ano de 2019.

Acredito que a expansão do créditopara PF e PJ só ocorra a partir do terceiro trimestre de 2019, quando o horizonte econômico deverá ficar mais claro, mas com crescimento tímido.

Inadimplência

Atualmente 35 milhões debrasileiros estão desempregados. Destes 15 milhões continuam a procurar emprego e os demais estão fazendo “bico” para gerar renda para sobrevivência. 

Com o orçamento reduzido, o brasileiro encontra-se com dificuldades para cumprir com seus compromissos. 

São 65 milhões de brasileiros com dívidas em aberto. Pesquisas disponibilizadas nas mídias indicam que desses 30 milhões perderam totalmente condições de quitação da dívida.

Entendo que esta situação deva continuar em 2019 em face das incertezas que promovem a retirada deinvestimentos no mercado brasileiro. Então, sem motivos para acreditar em melhoras aponto que teremos um ano de 2019 complicado para as pessoas.

Previdência

Estamos sofrendo um massacre há mais de 4 anos sobre o déficit da Previdência. 

Como roubam do povo! 

A Seguridade Social contempla um tripé: Previdência, Assistência e Saúde. Esta FOI A MAIOR CONQUISTA DO TRABALHADOR BRASILEIRO.

O Artigo 195 da Constituição Federal de 1988 deixa muito claro o financiamento do tripé (Previdência,Assistência e Saúde), ou seja:

  1. trabalhadores eempregadores contribuem sobre o salário e folha que sofreu desonerações);
  2. as empresas com CSL;
  3. contribuição sobreconsumo;
  4. COFINS;
  5. PIS/PASEP;
  6. arrecadação sobre venda deprodutos rurais;
  7. apostas de loterias econcursos pagos; e
  8. etc.

Considerando todas essas fontes e gastos com Previdência/Saúde/Assistência,  sobra uma fortuna que são “roubadas” do povo. Basta ver o que foi dado de aumento (não é reposição) para o judiciário, em 08/11/2018, e que agora todo o funcionalismo público será beneficiado. O país está quebrado. Não é mesmo?

Criaram a DRU (Desvinculação de Receitas da União) para “meter a mão” em 30% desse rico dinheirinho.

Também não podemos esquecer das desonerações que roubam mais de R$ 900 bilhões do povo brasileiro.

Algumas empresas no país devem mais de R$ 400 bilhões aos cofres públicos e os governos, legislativos e judiciários só trabalham para isentá-las de tais obrigações; ou seja, não exigem e nem cobram os direitos do povo e, ainda, dispensam as empresas do cumprimento dessas obrigações.

Infelizmente, não haverá evolução na modificação da previdência. O corporativismo que nos prejudica não será vencido enquanto tivermos um sistema eleitoral que permite legisladores se reelegerem eternamente.

Corrupção

A Corrupção, problema com o qual nós brasileiros estamos convivendo cotidianamente. Essa coisa não tem fim.

Entram governos, saem governos, e uma variável parece persistir no cenário político brasileiro: a corrupção.

São tantos mensalões, propinodutos, petrolão (etc., etc., etc.) no Brasil afora que já são classificados e intitulados conforme a atuação e região.

A corrupção no Brasil é fruto das nossas instituições, onde o público se confunde com o privado.

Somos o país das concessões e do jeitinho. Criam-se dificuldades para oferecerem facilidades a preços não tão baixo.

Acredito que a proposta do futuro ministro da Justiça e Segurança não vá surtir o efeito esperado. Isso porque o sistema permanecerá vivo.

Entendo que a maneira para reduzir a corrupção no país passe primeiramente em não mais permitir reeleição do pessoal do legislativo e que qualquer outro cargo de indicação passe por um crivo severo de ética/integridade/conhecimento da área. É necessário ficar em distantes por pelo menos 5 (cinco) anos desse mundo.

Impostos

A carga tributária no Brasil é absurdamente alta, enquanto que a renda per capita é disparatadamente baixa e não condiz com o que as pessoas recebem de salário e não corresponde com o que as pessoas recebem de retorno do governo.

Não vislumbro nenhuma oportunidade para o próximo Presidente da República tocar o carro sem que haja aumento de impostos e criação de novos impostos/contribuições.

Os mortais, ou seja, a classe pobre irá pagar mais esses equívocos administrativos, legislativos e judiciários.

O novo governo

O presidente eleito a princípio proporciona uma injeção de confiança. No entanto, percebo substanciais riscos para o país em 2019.  Isso devido a um Congresso dividido que dificultará, com certeza, todo tipo de aprovação de reformas a serem propostas pelo futuro presidente e equipe.

Espero que não venda a sua alma ao demônio, pois se assim o fizer entraremos todos no inferno.

Fonte: Prof. Dr. e Me. Pitico, para CollBusiness News, em  17.12.2018

2018-12-17T13:55:26-03:0017/12/2018|Crédito&Cobrança|Nenhum Comentário
Translate »