Bancos Municipais com moedas próprias tornam-se alternativa na geração de consumo

Vivenciando as mudanças no setor econômico e suas adaptações, cidades no Brasil adotam o sistema de Banco Municipal e moeda própria para contornar a falta de serviços econômicos e financeiros encontrados nessas regiões.

Os Bancos Municipais, também chamados de Bancos Comunitários, foram desenvolvidos para gerar apoio a economias populares de municípios de pequeno e médio porte e prestam serviço financeiro solidário em rede de natureza associativa e comunitária, voltados para a geração de trabalho e renda.

Outro foco dos municípios ao adotarem essa modalidade de sistema bancário, é estimular a criação de uma rede local de produção e consumo, promovendo o desenvolvimento da comunidade, de fora para dentro, fazendo a economia girar no local. Isso e feito através da atuação de duas linhas de crédito: uma em Real e outra em moeda social circulante.

Atualmente o Brasil tem cerca de 32 bancos municipais funcionando com suas moedas próprias, consumidas dentro do próprio município. Com isso, a moeda social criada dentro da comunidade amplia o poder de comercialização, aumentando a riqueza circulante na cidade.

Fonte: por CDL – ASCOM, em 13.09.2018.

Bancos comunitarios ajudam a aquecer o comercio local

Fonte do video: por Globo News, em 14.10.2018

2018-10-15T20:48:39-03:0015/10/2018|Vídeos|Nenhum Comentário
Translate »