Cartão Mais Fácil, o Nubank das favelas.

Por Marília Almeida | Exame

São Paulo – Cartão de crédito com uma pegada inovadora, que permite gerenciar as despesas do cartão de crédito por aplicativo, com linguagem informal e atendimento humanizado. Poderia ser a descrição do festejado Nubank, mas são as características dos cartões comunidade da Mais Fácil.

Os cartões comunidade da administradora do plástico são como qualquer outro cartão de crédito: a bandeira do plástico é a Cabal, aceita nas máquinas da Cielo, Rede, Bin e Sipag, que são usadas em 95% dos pontos comerciais do país, diz Pablo Pires, CEO da Mais Fácil. Porém, o foco é que sejam utilizados por moradores das comunidades, contribuindo para o desenvolvimento local.

Cerca de um ano e meio depois do lançamento do Cartão Paraisópolis, comunidade com 120 mil habitantes localizada na zona sul da cidade de São Paulo, a Mais Fácil lança agora seu segundo cartão comunidade no Jardim São Luis, também na zona sul da cidade e ainda maior que Paraisópolis: tem cerca de 270 mil habitantes. O lançamento foi feito praticamente em conjunto com um aplicativo, que administra as despesas realizadas nos cartões.

Julia Drezza, gerente de sustentabilidade da administradora, não esconde a inspiração nos passos do cartão roxo. “É nosso sonho”. Também não omite o objetivo ambicioso da empresa: estar presente em comunidades de todo o país.

A administradora também pretende incentivar que qualquer pessoa que queira ajudar no desenvolvimento das comunidades usem os cartões. O aplicativo será um meio de atingir um público mais amplo. Pelo app, é possível que qualquer pessoa realize um cadastro e peça o cartão.

Isso porque há um aspecto social no modelo de operação do plástico. Quem usa o cartão nas comunidades destina um porcentual do valor gasto em compras a projetos sociais, realizados pela administradora em conjunto com a União dos Moradores da comunidade ou ONGs.

Emerson Barata, presidente da Associação de Moradores e Comércio de Paraisópolis, aponta que o dinheiro revertido para a comunidade já ajudou projetos como a orquestra local, o bistrô da associação, oficinas de hortas e eventos da Associação das Mulheres de Paraisópolis, entre outros projetos. “Um exemplo: a gente realizou uma caminhada da Associação das Mulheres e conseguiu, com parte do dinheiro do cartão, oferecer lanches e água para as moradoras idosas. Também fizemos camisetas relacionadas ao evento”.

Além disso, a Mais Fácil busca parcerias com comércios na comunidade para oferecer descontos para quem usa o cartão, fortalecendo, dessa forma, a movimentação da economia local. Em Paraisópolis, a administradora de cartões tem parceria com 65 pontos comerciais dos cerca de 8 mil existentes na comunidade.

Translate »