A chegada da Primavera e os dias quentes pedem bebidas mais refrescantes e leves ao paladar. Para os apreciadores de vinhos, é uma excelente época para explorar rótulos compostos por uvas com uma acidez um pouco mais acentuada e que harmonizem com a estação das flores.

O sommelier Jonas Martins, gerente comercial da MMV Importadora, diz que a nova estação pede vinhos que possam ser servidos gelados. Desta maneira, a Primavera é ideal para o consumo de vinhos brancos, rosé e espumantes.

“Espumantes, brancos e rosés precisam ser consumidos gelados por ter a acidez como sua característica principal, e a temperatura baixa amplia a sensação de frescor quando consumido”, afirma Martins.

Ainda segundo o sommelier, uma das razões para o maior frescor e acidez nesses vinhos é a falta de tanino em sua composição. O tanino no vinho tinto vem do contato com a casca durante o processo de fermentação e os vinhos brancos e rosés fermentam sem a casca da uva. Assim, quanto mais jovem melhor o vinho, pois isso envidência a principal característica deles, que é o frescor.

De olho no crescente público dos vinhos brancos, rosé e espumantes, a MMV oferece uma gama de opções. “Engana-se quem pensa que esses vinhos são bebidas de jovens e mulheres. O consumidor de vinho em geral se deu conta do quão prazeroso é um vinho mais leve”, enfatiza Jonas Martins.

Entre as novidades da importadora, estão dois rótulos bem especiais. O Monte da Capela Reserva Branco é um vinho português da Casa Clara que passa um pequeno tempo em madeira e apresenta um sabor de baunilha, sendo untuoso à boca. Da Bodega Krontinas, de Mendoza (Argentina),  vem um Vinho Laranja de Chardonnay de fermentação natural e sem aditivos químicos, leve, floral e refrescante.

Dentre os rótulos que estão há mais tempo no portfólio da empresa, destaca-se, na categoria espumante, o Viapiana 250 Dias, vinho 100% Riesling Itálico, com tons florais e amanteigados, porém picante ao paladar.

Muitos consumidores associam o moscatel aos vinhos espumantes, porém o Revoltosa Moscatel da Vinã La Prometida, no Chile, é um vinho que entra na categoria “seco”, por conta de sua leve adstringência e dulçor discreto. É excelente se consumido a 6ºC, mas cresce com temperaturas em torno dos 12ºC.

Para quem prefere um vinho rosé, o Inserrata Inebriante, vinho orgânico produzido na Itália, é uma ótima opção. Produzido a partir de agricultura biológica, este rosé leve e refrescante apresenta uma maior estrutura por conta dos processos naturais envolvidos em sua produção.

Na categoria de vinhos brancos, os vinhos Felitche ganham destaque. O Felitche, marca própria da MMV produzidos no Chile, apresentou, segundo palavras do próprio Jonas Martins, uma safra 2020 “excepcional”. O Felitche Sauvignon Blanc tem aromas expressivos de limão e maracujá, com acidez marcante, final cítrico. O Felitche Chardonnay é bem floral, com aromas de flores de acácia, pera, maçã e abacaxi, corpo médio e acidez equilibrada.

Como dica de harmonização, esses vinhos casam muito bem com carnes sem cocção e frutos do mar. São ideais para acompanhar pratos da culinária japonesa, peixes, ostras, mariscos e até mesmo a famosa “carne de onça”, prato muito típico do Paraná que contém carne moída crua.

Para ter acesso aos vinhos da MMV Importadora, acesse: https://www.mmvinhos.shop

Fonte: por Jaine, Equipe de Jornalismo da Engenharia de Comunicação – Assessoria MMV Importadora, em 09.10.20