Como a Inteligência Artificial (AI) está impactando a Indústria Financeira.

Olhares diferentes para o mesmo cenário.

Inteligência Artificial no Mercado Financeiro

A Inteligência Artificial (A.I.) assim como o Blockchain e o Big Data, coloca na pauta de discussão questões de grande impacto na sociedade e na economia global. Estamos falando de um processo disruptivo que está a afetar não só os modelos de negócios, mas também o mercado de trabalho. Enormes mudanças estão previstas no conjunto de habilidades necessárias para prosperar, negócios e pessoas, neste novo cenário.

Inteligência Artificial no Mercado Financeiro: Bancos.

Os bancos tem sido instituições importantes na introdução da A.I. no mercado financeiro. E eles já entraram na onda usando não só para atendimento ao cliente, como para dar explicações sobre seus investimentos e jargões do setor. Outro uso da A.I no mercado financeiro é a personalização. Ou seja, os bancos, que possuem bancos de dados imensos sobre seus clientes, vão poder usar os bots para reunir tudo.

Um recente estudo sobre o impacto da A.I. na economia revela que a A.I.  é um novo fator para medir os níveis de produção. A previsão é de que as taxas de crescimento econômico anuais sejam duplicadas até 2035 e a produtividade da força de trabalho ativa aumente em até 40%.

Enquanto alguns pesquisadores preveem que a automação conduzida pela A.I. pode afetar 49% das atividades de trabalho e eliminar cerca de 5% dos empregos, um estudo da SalesForce aponta que até 2021, atividades de CRM habilitadas pela A.I. poderiam aumentar as receitas de negócios globais em US$ 1,1 trilhão e criar 800 mil novos empregos novos – superando os perdidos para a automação.

Já o artigo do New York Times, The Real Threat of Artifcial Intelligence  apresenta uma outra perspectiva: “a transformação promovida pela A.I. resultará em enormes lucros para as empresas que a desenvolvem, bem como para as empresas que a adotam. Por outro lado, também está prestes a provocar uma diminuição em grande escala de empregos – principalmente aqueles de menor remuneração”.

A A.I reduzirá brutalmente os postos de trabalho repetitivo. Sim. Isso é um fato.  Mas também está a gerar um grande valor agregado  e a impulsionar (novos) negócios.

Ou seja, estamos enfrentando dois desenvolvimentos que não se harmonizam facilmente: enorme riqueza concentrada em poucas mãos e um número enorme de pessoas fora do mercado de trabalho. O que precisa ser feito?

“Nada em si é bom ou mau; tudo depende do que pensamos” (Hamlet)

Fonte: por Luciano Basile* para jornal Valor Econômico Angola, em 29.07.2019.

*CEO de i-Coll Soluções Telemática e CTO de Digitally Pay ; evangelista e livre pensador sobre questões ligadas a disrupção do mundo analógico para o mundo digital.

2019-08-18T20:32:14-03:0021/08/2019|Mundo Digital|Nenhum Comentário
Translate »