Como será o amanhã (2018!!!) para nossos profissionais?

E com essa pergunta vamos nos despedido de 2017. Como será o amanhã? …. Será diferente ou igual ao ano que tivemos até agora? …. Será esse apenas mais um ano rumo ao incerto futuro? Ou será um ano novinho para promover mudanças e crescimento pessoal? Bem, esses questionamentos me fazem lembrar de algo dito por um velho amigo (rsrsrs) : “para atingir resultados diferentes dos atuais, é preciso realizar as coisas também de maneira diferente”. Então, e que nos sirva de alerta, para que 2018 seja realmente melhor ele não poderá ser apenas uma repetição do que fizemos em 2017.

Acredito e muito nas possibilidades para o novo ano e no salto transformador das pessoas do segmento para 2018, mas em contrapartida me preocupa o fato de alguns profissionais que hoje ocupam lugar de destaque, porque são decisores nesse processo, estejam dispersos ou mesmo despreparados para fazer a diferença. Estão com o olhar no futuro, mas com os pés a flutuar, cercados de indecisões e inseguranças e uma certa preguiça para promover mudanças. Parecem instalados na ineficaz cadeira da zona de conforto sem a clareza do que precisam “saber” para que de fato um novo ano venha cheio de oportunidades para o desenvolvimento das pessoas. Prevejo que nesse cenário, haverá um enorme descompasso entre o “realizável” e o “desejável” quando falamos de resultado e desempenho dos profissionais nas organizações.

Certo é que no ambiente corporativo há muito a ser feito. Os avanços prometidos pela tecnologia já sinalizam um futuro promissor cheio de novas práticas, robôs com níveis de serviços nunca atingidos pelo homem, tudo sendo acertado e abrilhantado por estudos de ponta e melhorias infindáveis, mas resta saber o que acontecerá com as pessoas? Com o precioso desenvolvimento do capital humano? Pergunte-se, como as pessoas estão sendo preparadas para dar uma guinada em direção a excelência da prestação de serviços na sua empresa? … E quanto ao boom (que será preciso!!!) no resultado que sustenta o seu negócio?

Muitos parecem não entender essa importante questão. Perguntam a todo tempo o que a tecnologia pode fazer pelo seu negócio quando na verdade deveriam perguntar: o que eu preciso conhecer para que a tecnologia “mais adequada” ao meu negócio de certo. Sim, a grande questão é “não ignore que não há perfeição”; nenhuma tecnologia será completa e autossuficiente a ponto de resolver todos os problemas, nem mesmo aumentar o resultado se você não a domina.

Nunca esqueça que os resultados são e sempre serão conquistados através das pessoas. Navegamos em águas turvas durante todo esse ano esperando que a tecnologia fosse aos poucos substituindo o que antes era realizado por humanos e isso nos levou a visão equivocada da operação com custos reduzidos esquecendo de contabilizar que será necessário investimento pesado para a construção de uma mão de obra ainda mais especializada.

Deixo nesse artigo uma lição de casa para todos. Pensem sobre suas competências. Descubra o que você possui e o que precisa desenvolver. “Conheça-te a ti mesmo” como disse o filosofo Sócrates. Aprimore-se, some conhecimento e comece isso ainda no presente.

Curtam muito esses dias de festas e que 2018 venha repleto de sucesso!!!

Fonte: Daisy Blanco, para CollBusiness News, em 22.12.2017

 

2017-12-26T15:39:04-03:0026/12/2017|Capital Humano|Nenhum Comentário
Translate »