Como Transformar seus Dados em Informação na Tomada de Decisões?

Não há dúvidas de que o grande volume de informações recebidas pelas empresas tende a continuar aumentando. Aquelas que sabem como filtrar e tratar esses dados traduzindo montanhas de fragmentos em conhecimento corporativo, terão em mãos uma enorme vantagem para orientar nas tomadas de decisões.

A sua equipe de gestão está preparada para gerar, organizar e extrair o que há de relevante nos dados? Para esclarecer alguns pontos importantes sobre esse assunto, segmentamos tudo em algumas reflexões que te ajudarão a entender como processos podem gerar ótimos resultados.

Confira!

Dados X Informações 

Para começar a discussão é preciso entender que dados não são a mesma coisa que informações, embora ambos estejam estreitamente relacionados. Dado é uma informação qualquer, que inicialmente não agrega valor algum, pois ainda não foi filtrada e muito menos interpretada. É algo cru, mas com algum potencial.

A informação, por outro lado, é um dado que já foi categorizado e faz sentido quando observado por uma certa ótica. A aplicação dela em uma determinada situação evidencia alguma vantagem, produz conhecimento relevante e útil.

O importante nesse processo é conseguir discernir o que pode ser utilizado para algum propósito e o que é somente volume morto, sem valor agregado para o seu negócio. Esse é o primeiro passo para que se possa atingir um conhecimento corporativo que trará verdadeiras vantagens competitivas e uma boa gestão da informação.

Informações para a Tomada de Decisão

O processo decisório é uma parte muito importante do trabalho de todo gestor. São as decisões que definem os rumos da empresa e de todos os envolvidos. Independente do volume das informações disponíveis no momento, a qualidade é essencial para que não haja possíveis erros.

Muitos profissionais acreditam que as decisões que são adotadas sem um embasamento claro e formal são aquelas que chamamos de intuição ou feeling. Na verdade, essas ações são fundamentadas em algum conhecimento: a experiência.

Embora algumas pessoas não percebam, o ser humano tem uma tendência natural de fazer reconhecimentos de padrões. Isso significa que, por mais que não se saiba explicar o motivo, conseguimos refletir e decidir o que fazer com base em tudo aquilo que já vivenciamos.

Se podemos utilizar, consciente ou inconscientemente, nossa carga de informações adquiridas para uma tomada de decisão, imagine o potencial de sucesso que carrega um levantamento prévio e bem estruturado sobre uma situação? Esse é o poder da informação.

A  Qualidade da Informação

Entendida a necessidade da disponibilidade da informação é hora de falarmos sobre a qualidade dela. Você já pensou por que assiste, escuta ou lê jornais todos os dias? Exato: porque a cada momento há novas notícias.

Por esse mesmo motivo é importante sempre ter informações atualizadas para resolver problemas ou aproveitar oportunidades do agora. Além de ser do momento (e perecível), a informação também precisa estar completa e objetiva. Do contrário, a decisão que será tomada com base nela poderá não ser a melhor.

Para ilustrar, imaginemos um serviço de previsão do tempo. Se alguém diz que a previsão é de tempo nublado, talvez hesitemos em levar o guarda-chuva, pois esta informação é pouco precisa. Se disserem que é nublado, mas com 85% de chance de chover, já temos um indicativo melhor.

Ainda assim é necessário que se saiba para qual cidade é a previsão e para qual dia, pois ela pode ser para amanhã ou depois de amanhã. Ou pode ainda ter sido a previsão para ontem. Percebeu como é importante ter a informação objetiva, completa e atualizada?

Selecionando o que é relevante

Tudo que é relevante é importante em um determinado momento, mas pode ser totalmente descartável no futuro. Por isso, é necessário estar preparado para conseguir a informação que realmente interessa na hora certa. Para fazer isso, tenha já uma estrutura programada para te ajudar.

A forma de conseguir ter na palma da mão o que você precisa não é difícil, embora possa dar algum trabalho e exigir empenho no início. O primeiro a fazer é questionar duas coisas: que tipo de informação eu vou precisar e como eu posso aproveitar os dados que já tenho de maneira a transformá-los em conhecimento útil?

Sabendo o que você está buscando e conseguindo identificar as possíveis fontes, fica tudo mais fácil. A partir daí vem o processo de mineração dos dados e da composição dos seus KPI’s (key performance indicators). Eles são o resumo do que você precisa.

O ponto-chave para a boa identificação de KPI’s não é definir muitos, mas os mais relevantes. Sinta-se à vontade para criar e montar o cálculo que achar mais importante, mas tome cuidado para não se perder criando vários índices. Lembre-se de ser objetivo.

O  Apoio da Tecnologia da Informação

Não há uma forma mais produtiva de executar uma transformação de processos em conhecimento que não seja utilizando a tecnologia da informação a seu favor.

Desde a seleção da fonte correta e a automação da coleta de dados, até a apresentação dessas informações em um modelo de negócio amigável e consistente, a adoção de boas tecnologias e softwares é fundamental.

Modelos manuais são muito lentos e extremamente passíveis de erros. Além disso, não há como discutir que, para atividades repetitivas, a melhor solução é a tecnologia.

Se, por acaso, sua empresa ainda não está traduzindo dados em informações úteis e atualizadas, sua atuação como líder e responsável pode estar exposta a falhas. A solução do apontamento eletrônico é um importante aliado, desde o momento da geração de informação no campo, até a análise de dados. A boa notícia é que existem excelentes e práticas soluções de gestão e apontamento eletrônico para te ajudar.

Fonte: publicado originalmente no Blog do Simova* em 14.03.2017

*Simova é uma empresa que atua no mercado corporativo de software, desenvolvendo soluções  de apontamento eletrônico para todos os segmentos da construção civil, agronegócios e serviços.

 

2018-08-07T15:19:38-03:0008/08/2018|Tecnologia|Nenhum Comentário
Translate »