O Fórum Econômico Mundial celebrou a sua 50ª reunião anual entre os dias 21 e 24 de janeiro. Com o lema “Grupos de interesse para um mundo coeso e sustentável”, o encontro reuniu os principais líderes empresariais, governamentais e da sociedade civil para tratar os desafios e oportunidades derivados da Quarta Revolução Industrial.

Foi, talvez, a edição mais decisiva até agora, já que entramos em uma nova década de incerteza financeira, social e econômica sem precedentes, com espaço limitado para mudança de direção.

O e-book acima está com as principais questões levantadas no Fórum Econômico Mundial, onde preocupações sobre o meio ambiente dão o tom aos principais riscos a longo prazo.

De antemão, podemos destacar as 10 principais ideias lançadas na edição 2020 do Fórum:

  1. O trabalho vai mudar. Para Ginni Rometty, CEO da IBM: “as mudanças climáticas nos forçarão a mudar 100% dos empregos. Precisaremos de uma reconstrução maciça e uma mudança de paradigma em torno de novas habilidades” “A privacidade dos dados deve ser considerada um direito humano, que devemos proteger, garantindo total transparência.
  2. Privacidade como direito humano. “A privacidade dos dados deve ser considerada um direito humano, que devemos proteger, garantindo total transparência”, disse  o indiano Satya Nadella, CEO da Microsoft. “A privacidade dos dados deve ser considerada um direito humano, que devemos proteger, garantindo total transparência.
  3. Tecnologia mais inclusiva. O CEO do Google e do Alphabet, Sundar Pichai, declarou que  “A tecnologia tem o poder de transformar a sociedade, as pessoas têm fome de tecnologia, mas devemos aproveitá-la. E temos o dever de torná-lo inclusiva”.
  4. Este capitalismo está morto. O fundador e CEO da Salesforce.com, Marc Benioff, foi entre os mais enfáticos em Davos. Segundo o executivo, “o capitalismo como o conhecíamos está morto. Nossa obsessão em maximizar lucros apenas para os acionistas levou a uma desigualdade incrível e a uma emergência planetária “.
  5. Risco climático como novo testes de estresse. Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu (BCE) pediu que o risco climático seja incluído como teste de estresse nos balanços das empresas e dos bancos.
  6. Aumento das desigualdades sempre precede uma crise financeira.
  7. Imposto sobre o carbono. 
  8. Greta de novo em Davos.
  9. Neutros em carbono até 2035
  10. Multilateralismo como forma do mundo prosperar.

A presença do yogi iluminado e místico da Índia, Sadhguru, foi um dos principais destaques deste fórum.  Vozes importantes de todo o mundo, incluindo a conservacionista Jane Goodall, o CEO da Salesforce, Marc Benioff, e o presidente da Colômbia, Iván Duque, subiram ao palco com Sadhguru para defender fortemente ações unificadas para lidar com as mudanças climáticas.

Fontes: por Carlo Cauti, para Sunoresearch