Os cientistas que trabalham na Organização de Pesquisa e Desenvolvimento de Defesa (DRDO) precisam se concentrar nas necessidades da próxima geração das forças armadas em cibersegurança, espaço e inteligência artificial
Concentração em cibersegurança e IA

Os cientistas que trabalham na Organização de Pesquisa e Desenvolvimento de Defesa (DRDO) precisam se concentrar nas necessidades da próxima geração das forças armadas em cibersegurança, espaço e inteligência artificial, disse seu presidente G Satheesh Reddy na sexta-feira.

Em seu discurso em um evento para marcar o 60º dia de fundação da DRDO, Reddy disse que institutos acadêmicos, organizações de pesquisa e desenvolvimento (P&D) e a indústria precisam trabalhar juntos em tecnologias avançadas e futuristas para tornar a Índia auto-confiante no setor de defesa. Um comunicado de imprensa emitido pelo Ministério da Defesa disse: "Em seu discurso, ele (Reddy) convocou os cientistas do DRDO a se concentrarem nas necessidades da próxima geração, incluindo segurança cibernética, espaço e inteligência artificial."

De acordo com o comunicado, Reddy mencionou que "várias SMEs e MSMEs (micro, pequenas e médias empresas)" estão sendo alimentadas pelo DRDO, pois estes estão fornecendo pequenos componentes para subsistemas para seus projetos.

Ele acrescentou que pelo menos 30 startups devem ser apoiadas todos os anos para desenvolver produtos inovadores para as forças armadas indianas.
Reddy declarou "exportação" como tema do DRDO para 2021 e mencionou que muitos produtos baseados nas tecnologias do DRDO já foram exportados pelas unidades do setor público de defesa (DPSUs) e empresas privadas.

Ele também destacou o papel do DRDO durante a pandemia COVID-19, afirmando que seus 40 laboratórios desenvolveram mais de 100 produtos em pé de guerra para combater o vírus.

Fonte: por Ciso.in, from The Economic Times, em 02.01.21