FAKE NEWS – Nós podemos evitar

Informações falsas ou mesmo distorcidas sempre estiveram presentes nas comunicações. E quando se trata de mídia, em qualquer formato, considerando a força da influência dos veículos de comunicação, isso pode ser fatal.

A grande transformação que estamos vivendo hoje, provocada pela Tecnologia, transformou as Redes Sociais em uma das mídias mais abrangentes, mas paradoxalmente sem a garantia da sua efetividade uma vez que pode ser a cessada por todos, mas não há nada que a regule, exigindo a responsabilidade pela informação.

As eleições americanas recentes por terem sido fortemente baseadas nas mídias sociais, demonstraram uma tentativa de influencia muito grande, de todos os lados, baseada em Fake News.

Uma pratica fraudulenta e que se espalha pelo mundo todo, onde quem se beneficia com elas aproveita das possibilidades que a Tecnologia nos traz na facilidade da propagação de informações.

Às vezes, mesmo sem intenção, na prática diária de compartilhar temas interessantes, podemos acabar caindo nessa armadilha e passar adiante informações falsas.

Para se ter uma ideia, como exemplo, um estudo desenvolvido pelo MIT (Massachussets Institute of Technology) analisou 126 mil mensagens veiculadas pelo Twitter entre 2006 e 2017 e identificou que conteúdos falsos ou irregulares, circularam 70% a mais que conteúdos verdadeiros.

Mensagens falsas, com conteúdo irregular ou não comprovado chegam a ser disseminadas 3 vezes mais rápido e com profundidade 8 vezes maior do que as verdadeiras.  E como consequência dessa prática, com o fenômeno da viralização, conteúdos falsos chegam a quase 100 vezes mais pessoas que conteúdos verdadeiros.

O estudo do MIT avaliou também o comportamento dos bots (robots nas Redes Sociais) mas identificou que a proliferação nesse caso é relativamente igual para informações falsas e verdadeiras. O que mostra que humanos são mais sucetiveis mesmo a proliferar informações erradas.

Conteúdos falsos em qualquer área, circulam mais rápido e chegam mais longe que os verdadeiros. E como curiosidade, também identificada no estudo do MIT, a disseminação de conteúdos falsos geralmente se inicia com pessoas e perfis mais simples, menos influentes, com menos seguidores nas Redes Sociais.

Ou seja, estamos mesmo diante de um verdadeiro bombardeio de informações, em grande parte falsas!

Mas para ajudar a diminuir ao máximo essas ações estamos em um movimento mundial para conscientizar as pessoas desse perigo, e indo além, apresentar algumas maneiras para se identificar e evitar essa prática, buscando o engajamento das pessoas de bem.

Existem técnicas que ajudam muito, especialmente da correria do dia-a-dia. E eu gostaria de apresentar uma que eu entendo seja simples, mas muito eficaz.

O “Filtro Triplo de Sócrates

Tão antiga quanto a necessidade da sua implementação, essa técnica socrateana criada a aproximadamente 2.400 anos, nunca foi tão útil como nos dias de hoje.

A ideia é avaliarmos qualquer informação antes de compartilha-la, com base em 3 regras simples:

1. Filtro da Verdade: 

É preciso termos certeza da sua veracidade. Sempre identificando a fonte, sua credibilidade, e sinais de honestidade  na informação. Uma atenção especial à imagens e vídeos que por si só não garantem a veracidade, uma vez que ha um sem número de ferramentas digitais que permitem montagens.

Se não estiver clara a sua veracidade, não compartilhe.

2. Filtro da Bondade:

Se a informação for referente a algo bom de fato vale p compartilhar.  Se não, considere não compartilhar.

Isso porque a iniciativa anti Fake News vai mais além. A ideia fundamental é ajudar também a não “poluir” as mentes das pessoas que de alguma maneira influenciamos.

Por isso mesmo tendo certeza absoluta sobre veracidade da informação vale identificar se é boa ou ruim, considerando o impacto que pode trazer a quem recebe. Se for boa vale compartilhar, se for ruim apenas compartilhe se de fato for relevante.

3. Filtro da Utilidade.

Pronto!

Está aí uma técnica de apoio, simples e efetiva, usada em uma fração de segundos pela nossa percepção, que pode ajudar muito nesse grande movimento do bem pela limpeza da nossa comunicação.

Especialmente hoje em um mundo onde a Tecnologia esta cada vez mais presente nas comunicações.

Como essa informação é verdadeira, de um movimento do bem, e pode ser muito útil a todos, vale a pena compartilhar!

Todos nós juntos, contra as Fake News!

Fernando Lemos*

*Estrategista em Tecnologia e Inovação. 

Fonte para CollBusiness News em 09.08.2018

http://www.fernandolemospalestras.com.br

2018-08-07T23:15:26+00:0009/08/2018|Tecnologia|Nenhum Comentário
Translate »