A Isoflex, fabricante de produtos de gestão visual, está doando 280 displays e 70 quadros beira de leito para instituições médicas do Paraná. E ainda, a empresa vai fabricar a parte transparente de 400 protetores faciais a serem doados às equipes médicas que estão na linha de frente no atendimento a pacientes vítimas do coronavírus.

A ação tem o intuito de ajudar no combate à COVID-19. A expectativa é que os displays sejam utilizados na divulgação de informações sobre os sintomas e métodos de prevenção, como orientações para higienização das mãos, e os quadros possibilitem agilidade no atendimento dos hospitais já que são utilizados na identificação de leitos e pacientes. 

Carolina explica que os displays podem ser facilmente higienizados com álcool e conforme as informações precisam ser modificadas, fica bem fácil e rápido de trocar a informação, mantendo tudo higienizado.

Os quadros ‘beira de leito’ por sua vez são utilizados para mostrar informações sobre o paciente, riscos clínicos, protocolos institucionais e equipe médica que está realizando o tratamento daquele paciente. Produzido em material plástico, são fáceis de higienizar com álcool e suas bordas não possuem saliências, para não haver acúmulo de sujidades e assim proporcionar maior segurança à equipe médica.

“Nem todos os hospitais contam com quadros de beira de leito. Inclusive, os quadros que estamos doando já vêm customizados com informações de risco clínico de suspeita ou caso confirmado de COVID-19. Fabricamos quadros de gestão há 35 anos, e nesse momento entendemos como nossa responsabilidade social, contribuir com o nosso Know-how”, diz Carolina Wolfart Hartmann, diretora de Marketing da Isoflex. 

As doações estão sendo encaminhadas para o Hospital da Cruz Vermelha, Hospital Nossa Senhora das Graças, Hospital Santa Casa de Curitiba e Hospital de Clínicas da UFPR  – por hora, em Curitiba. Também foram feitas doações desses materiais para a UPA de Campo Magro. Outros hospitais e centros médicos ainda poderão ser contemplados.

Além disso, a Isoflex fez parceria com uma empresa que faz o parte em 3D do protetor facial e vai doar 400 escudos transparentes para agregar à parte 3D e formar a máscara de proteção completa.

“Este é o jeito que encontramos para auxiliar neste momento delicado que enfrentamos. Se cada um ajudar, de acordo com suas possibilidades, poderemos vencer essa batalha contra o COVID-19. Além das doações,  devemos terminar o desenvolvimento de uma máscara protetora facial que pode ser produzida 20 vezes mais rápido que os modelos em 3D e estimamos conseguir ter uma produção diária de 2.000 unidades. Será uma máscara de proteção facial rápida de ser produzida e de fácil higienização. Já passamos o protótipo para validação para alguns médicos de Curitiba”, finaliza Hartmann.

Fonte: por Jaine, Equipe de Jornalismo da Engenharia de Comunicação – Assessoria Isoflex, em 31 de março de 2020.