Liderança, transformacional ou servidora, o coaching pode te ajudar a chegar lá!

 

No universo corporativo sabemos não existir apenas um único perfil de líder, na verdade encontramos diversos estilos de liderança. Claro que você já ouviu falar em liderança servidora! Sim, mas vamos relembrar rapidamente. Esse tipo de liderança ficou muito conhecida depois do lançamento do livro ‘O Monge e o Executivo’, propondo que liderar é, antes de mais nada, servir. O líder servidor demonstra uma postura otimista e mantém grande proximidade com a equipe reforçando seu papel de provedor, oferecendo conhecimento, orientação, apoio, recursos e incentivo. Destaco aqui, outro estilo, o transformacional porque ao meu ver, revela o comportamento do líder ideal: um gestor que estimula a alta performance da sua equipe por meio da influência, da inspiração, do exemplo e da motivação.

Observe que há uma grande semelhança entre a liderança transformacional e a liderança servidora, ambos estilos, se dedicam a ajudar o time a se desenvolver e, consequentemente, a superar metas e atingir resultados expressivos. E é com essa postura que o líder realiza uma gestão mais humanizada, eficiente e colaborativa. Podemos dizer que a liderança transformacional e a liderança servidora são complementares, são parte do processo de evolução de um bom gestor, afinal, para ser um líder servidor, é preciso realizar muitas transformações em si e no meio em que está inserido.

A liderança transformacional é principalmente definida pela habilidade que o líder tem em transformar o ambiente da empresa e otimizar a atuação das equipes, razão pela qual, esse líder deve estar sempre preparado para solucionar problemas, resolver conflitos de forma diplomática, fortalecer a coletividade e construir o clima colaborativo no time. Precisa conhecer cada membro do seu time, as ambições, os valores pessoais, as preferências e limitações. O líder transformacional deve ser capaz de compreender o perfil dos profissionais da sua equipe, desenvolver estratégias que garantam a potencialização dos talentos e a correção de lacunas de conhecimento ao mesmo tempo que incentiva a complementariedade, explorando corretamente o capital humano de que dispõe e mantendo o alinhamento entre as expectativas dos colaboradores e as da empresa.

Também é fundamental, para todo líder, ser estrategista, articulador e visionário. Ter atitudes e tomar decisões, sendo fonte de inspiração e uma referência positiva para todos. Com essas qualidades, o líder transformacional ganha a equipe e garante altos índices de motivação e engajamento. Resolve problemas, otimiza processos, atrai e retém talentos, cria políticas eficientes de gestão de pessoas, elimina burocracias e barreiras hierárquicas. Tudo isso sem deixar de lado o bem-estar dos profissionais e o fortalecimento de uma cultura mais agregadora. Adota uma gestão mais horizontalizada, incluindo fatores administrativos, técnicos, gerenciais e comportamentais. A liderança transformacional faz do líder um componente essencial ao time, com valores como confiança e o respeito, pois este transforma o ambiente, a conduta e as perspectivas dos profissionais, garantindo a competitividade saudável e o crescimento dos negócios.

A liderança transformacional é fortemente evidenciada por 3 qualidades:

1º Carisma

Um líder transformacional é um profissional que consegue despertar a admiração e, principalmente, o respeito de seus liderados. Mais que colaboradores, ele é capaz de conquistar verdadeiros seguidores!

2º Inspiração

Esse líder consegue ser uma fonte de inspiração para toda a equipe. Está sempre em busca de grandes desafios, demonstra conhecimento técnico, poder de persuasão, capacidade de planejamento, comunicação interpessoal e, acima de tudo, humildade, empatia, bom humor, persistência e firmeza de propósito. Assim, encoraja seus liderados a assumirem um comportamento semelhante.

3º Visão

Essa qualidade faz com que o líder transformacional consiga se antecipar e agir proativamente, evitando prejuízos, falhas ou atrasos. Para tanto, está sempre bem informado e compreende todos os processos e as variáveis que cercam o negócio. Isso lhe garante uma panorâmica abrangente, necessária para a tomada de decisões assertivas.

Para desenvolver tantas qualidades e uma inesgotável adaptação, flexibilidade e versatilidade, a jornada do gestor transformacional deve iniciar no autoconhecimento. Atuar com uma gestão criativa, inventiva, capaz de prever dificuldades e administrar imprevistos e urgências somente com a aceleração de sua capacitação. O Coaching pode amadurecer e auxiliar nesse caminho para uma liderança mais completa e competente. Pense nisso! Entre em contato.

 

Excelente trabalho a todos!!!

 

Fonte: Daisy Blanco, para a revista CollBusiness News, edição nov.2017

2017-12-09T08:08:30-03:0005/12/2017|Capital Humano|Nenhum Comentário
Translate »