Má gestão de talentos traz prejuízos – pesquisa de Harvard

São Paulo–(DINO – 25 ago, 2017) – No atual ambiente corporativo, as empresas precisam considerar o investimento no capital humano se quiserem ser competitivas globalmente e continuar crescendo em seus mercados de atuação. É num cenário em que empresas precisam diminuir equipes, realocar funcionários, redefinir funções e rever salários que o impacto da falta de estratégia de gestão de pessoal sobre os resultados fica claro. Nos Estados Unidos, estudos mostram que as empresas perdem uma média de US$105 bilhões de dólares, por ano, mitigando contratações malsucedidas. Enquanto o impacto financeiro de uma contratação equivocada chega a US$200 mil dólares, pessoas certas em funções erradas podem custar até US$210 mil dólares, por mês.Por outro lado, recente pesquisa da Harvard Business School mostrou que empresas que investiram em uma cultura de gestão de performance, dirigida para engajamento, retenção e rentabilidade, cresceram 756%, em um período de 11 anos. Já as que não investiram, cresceram apenas 1% neste mesmo período.Para Kevin Schultz, gerente geral da Cornerstone OnDemand para o Brasil e América do Sul, as empresas devem mudar a forma como procuram profissionais para preencher suas vagas, agindo de forma mais proativa com a integração das redes sociais em suas pesquisas. “A forma tradicional de publicar vagas em aberto está ultrapassada e é ineficiente dentro de um mercado globalizado”, diz Kevin.Estudos mostram que 42% das empresas que integram estratégias de recrutamento via redes sociais obtêm um aumento significativo na assertividade dos candidatos e, 20%, atestam que reduziram o tempo entre a busca e a contratação do profissional. Métodos tradicionais de recrutamento, tais como, quadros de vagas, ajudam a empresa a encontrar um candidato. Entretanto, não garantem que os novos funcionários vão ficar tempo suficiente para trazer o resultado esperado, com taxas de turnover de até 19%. Hoje, as empresas que optam por trabalhar com recrutamento por meio de redes sociais reduzem esse percentual para 13%.”Identifique os talentos de sua empresa por meio de processos de competência, metas e engajamento. Depois, motive esses talentos a participarem de uma estratégia de indicação de funcionários que sejam como eles. É o princípio de que pessoas com afinidades se aproximam, favorecendo um ambiente harmônico”, revela Kevin.A Cornerstone trabalha com empresas em todos os continentes, setores e segmentos de mercado. Seus clientes incluem empresas multinacionais, grandes empresas nacionais e estrangeiras, além de médias empresas, organizações do setor público, companhias do setor de saúde, instituições de ensino superior, entre outras. Recentemente, foi reconhecida como a líder pelo Quadrante Mágico Gartner de 2017 para serviços integrados de gestão de talentos e aprendizado baseado em nuvem.Sobre a Cornerstone OnDemandCornerstone OnDemand (NASDAQ: CSOD) é líder global em software de gestão de capital humano e treinamento baseado em nuvem. Sua plataforma combina soluções líderes de gestão unificada de talento com as melhores análises estatísticas e soluções de administração de RH para habilitar as organizações a gerenciarem o ciclo de vida completo dos funcionários da empresa-cliente. O foco na aprendizagem contínua e no desenvolvimento de talentos ajuda as organizações a capacitarem seus funcionários para atingirem seu potencial máximo de sucesso. Com sede em Santa Monica, Califórnia, a Cornerstone OnDemand fornece soluções que são usadas por mais de 3.000 clientes em todo o mundo, abrangendo cerca de 31 milhões de usuários, distribuídos em 191 países. Para saber mais visite seu twitter/ facebook/ ou blog. www.cornerstoneondemand.comInformações.

Fonte: Estadão – 25/08/2017

 

2017-12-14T10:44:50-03:0028/08/2017|Capital Humano, Gestão|Nenhum Comentário
Translate »