Momento Collbusiness no 2º Encontro de Executivos: “Empresas adquirem uma solução para fazer isso, outra solução para fazer aquilo. Nada conversa com nada”

O Brasil soma atualmente 59,4 milhões de consumidores negativados e mais de 5,1 milhões de empresas inadimplentes. Ainda que o momento reflita, em tese, grande oportunidade para os contact centers e assessorias de cobrança, já que o volume de valores a recuperar nunca foi tão alto, as dificuldades de negociar acordos de pagamentos com os clientes também cresceu na mesma proporção, uma vez que pessoas físicas sofrem com a perda de renda resultante da alta do desemprego e as empresas amargam queda no consumo, vendas e, consequentemente, de faturamento.

Cabe às lideranças no mercado de recuperação discutir e propor novas tendências e apontar soluções. e esta foi a missão e esta missão foi bem cumprida pelos colunistas da Revista CollBusinessNews, que participaram do Momento Collbusiness: Um resumo da cobrança em 2017, no 2º Encontro de Executivos do Mercado de Crédito e Cobrança em 10 de agosto.

O evento foi promovido pela Mais Marketing e contou com a presença de aproximadamente 90 executivos dos segmentos de crédito, cobrança, varejo e tecnologia no restaurante Fogo de Chão, em São Paulo.

Moderado por Eduardo Tambellini, sócio-diretor da GoOn Risk, um dos principais do painel foi a robotização, tendência defendida por Luciano Basile, diretor-presidente no Instituto Brasileiro de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em Crédito e Cobrança (IBPDICC). “Os custos do Contact Center não paravam de crescer, a operação não era sadia, e a conta realmente não fechava. As empresas não tomaram a decisão de seguir este caminho, mas não havia outro caminho.” 

No entanto, o executivo ressaltou a preocupação em relação à busca das empresas por novas soluções. “Não é uma mudança planejada. Empresas adquirem uma solução para fazer isso, outra solução para fazer aquilo. Nada conversa com nada”, continuou o especialista.

 

Rodolfo Seifert, sócio-diretor da Crespo e Caires Advogados Associados, concorda com a visão de Basile e acredita que os robôs vieram para ficar. “O mínimo que uma assessoria de cobrança faz é dar atenção ao cliente, infelizmente, as empresas não dão essa mesma importância.”

Outro ponto de atenção dos colunistas é o nível de conhecimento dos analistas e líderes das empresas. “As pessoas estão muito preocupadas com o avanço, mas não estão preocupadas com o caminho para avançar. Alguém vai ter de entender de análises. As empresas também esquecem que todo escritório tem de estar alinhado com a estratégia”, aponta a Daisy Blanco, que defende como solução treinamento na base para que as assessorias tenham mais eficiência e resultados na operação.

Alexandre Gallardo, diretor comercial da R Brasil, credita o aumento da inadimplência ao desconhecimento do consumidor sobre o próprio risco de crédito. Gallardo, que também é especialista em educação financeira, defende ainda a capacitação dos atendentes, que em sua maioria não conhecem o produto com qual trabalham. “Na R Brasil, abrimos uma fatura e mostramos os juros aos operadores. Em um ano, diminuímos o absenteísmo e turn over, aumentamos de 19% para 31% o número de universitários e melhoramos a argumentação na cobrança. Os atendentes começaram a ser orientadores e não cobradores“.

Professor universitário, Emílio Pitico ressalta que um em cada quatro brasileiros possui dívidas em atraso, mas o número real de inadimplência é muito superior ao dado estatístico. “Dívidas de mais de cinco anos não são mais de conhecimento do Banco Central e lojas do interior não negativam, porque negativar é muito caro. Inadimplência é coisa para dar inveja a Lava Jato”, criticou Pitico.

O 2º Encontro de Executivos do Mercado de Crédito e Cobrança apresentou ainda dois painéis de crédito. Em Eficiência em Riscos, Fernando Manfio, presidente da GoOn Risk, ressaltou a necessidade de relacionamento com o cliente, a fim de que, caso ele tenha contas em aberto, o mesmo não se torne um inadimplente desconhecido. E na discussão Crédito ontem, hoje e amanhã, as fintechs ganharam destaque por entender os anseios do consumidor.

O evento contou ainda com apresentação de cases. O primeiro deles foi da VoxAge, apresentado por Alberto S Oliveira, diretor de relacionamento. No mercado desde 1997, a empresa oferece diversas soluções multicanais, entre elas a aplicação de ondas. “Fazemos uma abordagem de clientes de maneira mais inteligente e não na força bruta. Se na primeira abordagem não houve contato efetivo, a segunda abordagem será mais agressiva. Assim, na terceira onda, já se leva em consideração o desempenho das ligações anteriores.” O executivo comenta ainda que a solução de bots reduz o custo da operação em 60%.

Na Talkeen, o diferencial da empresa de tecnologia é humanizar o relacionamento com os colaboradores e clientes. “Nossa preocupação entender o cliente para propor soluções. Temos licença da Nuance, que apresenta a taxa de conversão muito interessante. Um dos nossos clientes fecha negociações 700 negociações por dia”, acrescenta o diretor-geral Paulo Falcirolli.

Ainda sobre a Talkeen, o investimento no segundo encontro foi válido para ampliar o networking. “Na primeira edição, percebi que tinha muito empresa de cobrança procurando soluções. Hoje, o público é mais tecnológico, que busca informação e oportunidades de negócios”, continuou o executivo.

Já Alexandre Constantine, diretor comercial da VoxAge, afirma que expectativas sobre o evento foram cumpridas. “É a primeira vez que participamos e a importância era de fechar novos contratos. E parece que tivemos boas oportunidades para fazer negócios”, avaliou.

Manoel Neto, diretor comercial da Mais Marketing, destaca a importância dos patrocinadores e apoiadores do evento e afirma que o encontro superou as expectativas com os temas abordados e conseguiu reunir grandes executivos de diversas empresas. “Agora é hora de concentrar esforços para a realização de mais um grande evento, que será o 7º Jantar de Amigos do Mercado de Crédito e Cobrança em dezembro”, conclui.

2018-05-30T10:30:40-03:0029/08/2017|Notícias|Nenhum Comentário
Translate »