No Fear: audácia e coragem para propor e realizar AÇÕES de recuperação

A inadimplência e o superendividamento não são nenhum grande fenômeno como se têm ventilado aos quatro ventos. Em realidade são consequências de decisões tomadas em um período.

Lembram da Lei Causa e Efeito? Está aí. A grande questão é como combater esse efeito.

Estive recentemente conversando com alguns clientes de uma rede de varejo, que possuíam o seguinte perfil:

Renda média R$ 1700,00

Gastos

  1. Prestação: carro
  2. Prestação: Geladeira
  3. Prestação: Maquina de lavar
  4. Alimentação
  5. Agua, Luz, Telefone, TV a cabo

Esse público entrou na cadeia de consumo porque não possuía acesso aos tão sonhados bens. Apenas faziam a seguinte conta: A prestação cabe no bolso.

O aumento das tarifas públicas, a redução de alguns subsídios ou qualquer eventual dor de barriga seriam o estopim para evidenciar a falta de capacidade de pagamento de seus compromissos creditícios.

Qual a opção para esse público? Pagar as prestações ou comer? Solução trivial.

Esse exemplo extraído de situações reais é apenas a ponta de um grande Iceberg.

Conclusão:

Há sim um enorme problema para ser resolvido no que tange a inadimplência dos agentes econômicos, sejam empresas ou sejam famílias, mas se ficarmos envoltos em lamentações e tentando achar os culpados o rombo será muito maior que o previsto. É preciso ter audácia e coragem para propor e realizar AÇÕES fortíssimas de recuperação. E, de novo, reforço, entenda-se recuperar como perder menos.

Existem ótimos produtos e serviços que possibilitam entender o perfil desses clientes, existem ótimas ferramentas, existem excelentes profissionais. Mas está faltando perdermos o medo de agir.

” O medo mantém o homem vivo, mas aprisiona sua alma”

Manoel Adriano de Moraes

Fonte: Artigo publicado no Linkedin em 04.08.2015. Video postado no Youtube em 18.01.2016

 

2018-08-07T15:48:32-03:0016/07/2018|Vídeos|Nenhum Comentário
Translate »