O planejamento nosso de cada dia…

A tempos atrás, li na revista VOCÊ S/A um artigo que trazia a informação de que pesquisadores descobriram que a maioria das formigas, destacada como símbolo do trabalho árduo através da conhecida fábula “A cigarra e a Formiga” de La Fontaine, é preguiçosa e dependente de uma minoria trabalhadora para sobreviver. Exemplo de organização e trabalho, as formigas metaforicamente sempre representaram um modelo a ser seguido, entretanto a pesquisa da Universidade do Arizona nos Estados Unidos, revelou que das 225 formigas observadas, 34 eram babás, 26 faziam trabalhos externos, 62 eram generalistas e 103 não faziam absolutamente nada e apenas se deslocavam para lá e para cá, sem qualquer significado ou justificativa.

A conclusão dos estudiosos foi de que 46% das formigas nada faziam, não trabalhavam em prol da organização… enfim não produziam, mas para salva-las do descredito total, os pesquisadores optaram por identifica-las como reserva militar, poupando energia para combater eventuais inimigos. Os pesquisadores podem ter melhorado a imagem dessas formigas preguiçosas, mas não conseguiram assegurar sua utilidade e mérito. Bem, pelo menos essa é minha opinião.

Agora traçando um paralelo para o dia a dia na sua organização, com critério e autocrítica responda: você pertence a qual grupo… aos 54% que realizam as tarefas ou aos 46% que andam de lá para cá, apenas fingindo realizar o trabalho? Aos que sabem o que é preciso fazer e resolver? Ou aos que nada produzem? Aos que conhecem a missão e o objetivo … e estão trabalhando no máximo do potencial para entregar os resultados? Ou engrossa a fila dos que estão na “reserva”? Joga no time dos que se dedicam e planejam os próximos passos? Ou economizam na energia acreditando que o que precisa ser mudado invariavelmente mudará por osmose.

Afim de que se aproveite ainda mais esse momento de leitura, reflita sobre suas potencialidades e performance. É parte do exercício de sobrevivência no mercado de trabalho perceber as deficiências, através do autoconhecimento, e rapidamente promover o autodesenvolvimento, adquirindo ou evoluindo em quantas competências forem necessários para atingir o desempenho almejado.

Realize um planejamento minuciosamente detalhado e muito consciente de onde se pretende chegar. Vá além e perceba se tal como no formigueiro, andar de um lado para o outro vai melhorar os resultados ou transformar você no profissional desejado? Evidente que a resposta é negativa. Então, mexa-se no sentido certo.

Planeje sua carreia a curto e a longo prazo. Parte da solução de seus problemas está em saber PLANEJAR. Àqueles que consideram que inexorabilidade da mudança nunca foi novidade alerto que o ritmo em que ela ocorre é, daí a importância da agilidade no processo de assimilação de novos conhecimentos.

Tenha a certeza de que não é o que você já sabe que vai garantir a sua empregabilidade no futuro e, sim, tudo o que você pode vir a saber e planejar para esse futuro que garantirá um solida carreira ainda no presente.

Excelente trabalho a todos!!!

Fonte: Daisy Blanco, para CollBusiness News, em 02.02.2018

2018-02-01T19:05:35-03:0002/02/2018|Capital Humano|Nenhum Comentário
Translate »