Os anos seguintes… Ato 2

Vencido a desconfiança inicial, empossado como Diretor de TI, equipe montada. Terra fértil para ser cultivada.

Tínhamos um problema. A empresa recebia a carteira de cobrança através de listagens de computador.  Essas listagens eram digitadas para serem armazenadas e posteriormente ser emitido uma ficha de cobrança.

(Crédito de Imagem: Dataprev)

Para resolver o problema, a TI da Empresa mantinha um grupo de 150 digitadores!!!. Não é preciso ser muito esperto para concluir que: a quantidade de erros de digitação era enorme e que aquelas listagens passavam pela empresa sem serem cobradas em uma quantidade muito grande.  Mas era a solução que se tinha naquele momento.

Como problemas e oportunidades andam juntos, e ajudar os outros sem esperar retorno lubrifica o caminho, percebi aí a primeira grande oportunidade de TI fazer a diferença. Era uma pratica comum entre empresas emprestarem seus equipamentos para outras poderem fazer suas migrações sistêmicas enquanto aguardavam a chegada dos seus . Sim, precisávamos de autorização especial para importar um computador. Quando eu estava na seguradora, emprestava nossos equipamentos a uma empresa que vinha a ser uma das principais clientes da cobradora.

Usando unicamente de relacionamento pessoal e convencimento, consegui que essa empresa passasse a enviar os títulos para cobrar através de fita magnética, que devidamente processada atualizaria o banco de dados da cobradora. Ou seja, o que era feito em um mês e não era concluído, passou a ser feito em um par de horas. Sem erros. Mas ainda não era suficiente: Eu precisava de uma impressora capaz de imprimir rápido. Isto custava um apartamento. Depois de muita discussão, negociação, mostrei que o ROI do projeto era extremamente favorável. Gastava-se em um apartamento, mas em curto prazo comprava-se um pequeno condomínio.

Adquirimos uma HP de inimagináveis 1200 lpm.  Em uma noite de processamento tínhamos aquilo que inicialmente vinha em listagens, que passou a vir em uma fita magnética, transformado em fichas de cobrança. 30 dias em 1.

O processo de cobrar não tinha sido alterado, mas multiplicamos a quantidade de títulos em cobrança de forma exponencial.

E tudo o que estava em cobrança, estava registrado no servidor da empresa.

Logo esse processo foi disponibilizado para todas as outras carteiras da empresa. Em um ano tínhamos todo o estoque de cobrança no computador. Já era possível saber que ativos eram esses. Qual o seu valor. Qual era a distribuição pelo país. Qual a participação de cada cliente no estoque.

TI já era ouvida para a tomada de decisões. TI já tinha orçamento de investimentos. TI tinha projetos.

E a Empresa crescia meteoricamente … Mas isso é outra estória.

Fonte: por Luciano Basile*, para CollBusiness News em 13.06.2018

* CEO de i-Coll Soluções Integradas e CTO de Digitally Pay. Publisher de CollBusiness News.

2018-06-14T11:52:08-03:0013/06/2018|Crédito&Cobrança|Nenhum Comentário
Translate »