PayPal

O PayPal anunciou, nesta quinta-feira (10), a incorporação de cartões de débitos na sua carteira digital. Com o serviço, os 4,3 milhões de clientes brasileiros do PayPal poderão pagar compras nacionais on-line no débito, sem a necessidade de digitar a senha.

Dados do Banco Central apontam que, atualmente, existem cerca de 132 milhões de cartões de débito ativos no país e eles representam 54% das transações feitas diariamente. Em 2019, os brasileiros gastaram cerca de R$ 1,84 trilhão em compras com cartões de crédito, débito e pré-pagos.

As compras com cartões de débito no ano passado somaram R$ 664 bilhões, alta de 15,5% em relação ao ano anterior – o que indica que a modalidade débito nas compras online tem potencial de crescimento.

A solução, inicialmente, está disponível para cartões do Bradesco, C6 Bank, Caixa, Itaú Unibanco, Inter, Next e Nubank, o que representa cerca de 70% da base de cartões de débito no Brasil.

Também podem ser utilizados cartões combo ou múltiplos, que possuem dupla funcionalidade de crédito e débito no mesmo cartão. Segundo a empresa, o cliente, no momento do checkout, deve selecionar a funcionalidade desejada para realizar o pagamento com o cartão cadastrado na carteira do PayPal.

Com a nova opção, segundo o PayPal, cerca de 58 milhões de pessoas no país poderão utilizar o cartão de débito no comércio online e em transações não presenciais, como os pagamentos em aplicativos de transporte, por exemplo.

“O que anima o PayPal é a questão da democratização dos pagamentos on-line. Cerca de 38 milhões de pessoas no Brasil só possuem cartão de débito e 20 milhões de pessoas têm cartões múltiplos [crédito e débito], mas a opção de crédito não é ativa. Estamos trazendo uma parcela da população para ter essa experiência no mundo digital”, reforça Nomura.

Para os 350 mil lojistas parceiros do PayPal no país, a taxa dos pagamentos recebidos provenientes de um cartão de débito de uma conta do PayPal será de 4,79% do valor da transação, acrescido de uma tarifa fixa de R$0,60 por transação, para disponibilidade dos recursos no prazo de 24 horas. E de 3,60% mais R$ 0,60 fixo por cada transação, quando a disponibilidade do pagamento for dentro de 30 dias. 

Fonte: por  Pablo Santana, para Infomoney em 10.09.2020.