O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, divulgou algumas novidades sobre o PIX na segunda-feira (22): o novo sistema de pagamentos instantâneos será gratuito para pessoas físicas e permitirá realizar saques na rede varejista. 980 instituições financeiras estão em processo de adesão no sistema, que deve começar a funcionar em novembro.

“Haverá gratuidade para pessoas físicas, de forma a possibilitar igualdade de condições a outros meios de pagamentos”, disse o presidente do Bacen. “Confio que as instituições participantes desenvolverão modelos de negócio e estratégias interessantes e economicamente atrativas, ofertando o PIX às empresas de modo a refletir o baixo custo e agregar serviços que gerem valor para os clientes.”

Ou seja, fazer um PIX será grátis para pessoas físicas, mas as empresas terão que arcar com o custo. É algo semelhante ao WhatsApp Pagamentos*: você pode enviar e receber dinheiro sem pagar tarifas, mas empresas no WhatsApp Business devem pagar taxa de 3,99% por transação à Cielo. (Caberá às instituições participantes definir uma taxa para o PIX.)

Teremos também a retirada de dinheiro em lojas. “O PIX permitirá o serviço de saque por meio da rede varejista“, adianta Campos Neto. Esse serviço não será necessariamente gratuito, mas só teremos detalhes adicionais em agosto, durante a próxima reunião do Fórum PI.

Para o presidente do Bacen, o saque em lojas físicas vai promover a reutilização do dinheiro no varejo; reduzir o custo logístico e operacional para distribuir cédulas; e gerar negócios adicionais aos donos dos estabelecimentos.

Isso também pode aumentar a capilaridade do serviço: ou seja, você não precisará depender apenas de caixas eletrônicos e agências de banco para retirar dinheiro da conta.

PIX terá transferências em até 10 segundos

980 instituições financeiras e de pagamento participam da etapa de homologação do PIX. Apenas 34 delas são obrigadas a fazer isso por terem mais de 500 mil clientes, como Itaú, Bradesco e Santander. As outras são fintechs como Nubank (Nu Pagamentos), PicPay, Mercado Pago, PayPal e RecargaPay, além de bancos menores.

O objetivo do PIX é permitir que transferências e pagamentos sejam realizados em até dez segundos, mesmo entre bancos diferentes, e mesmo em finais de semana. Inicialmente, o sistema deve ter suporte a pagamentos via QR Code; transações por aproximação, como NFC e MST, devem ser incorporadas em 2021.

Para 2020, este é o cronograma do Bacen:

  • 1º de junho a 16 de outubro: etapa homologatória e conclusão da etapa cadastral
  • julho: divulgação do regulamento do PIX e manuais técnicos
  • novembro: lançamento do PIX para o público
  • a partir de 1º de dezembro: instituições cuja adesão ao PIX foi negada poderão realizar novo pedido ao Banco Central

PIX

Fonte: Por Felipe Ventura para Tecnoblog em 23.06.2020.

*Nota da curadoria da CollBusiness News:

Até o fechamento deste artigo, o Banco suspendeu os pagamentos pelo aplicativo Whats App sob a alegação que a motivação para a decisão é "preservar um adequado ambiente competitivo, que assegure o funcionamento de um sistema de pagamentos interoperável, rápido, seguro, transparente, aberto e barato". 

Fontes do BC também alertam a preocupação da instituição com a concentração dos meios de pagamentos pelo app.