Ciências Humanas e filosofia

Você foi promovido a Diretor Executivo de Tecnologia Humana!

Seja qual for seu cargo ou função na empresa, do analista de dados ao gestor financeiro, todos os profissionais e líderes precisarão se pós graduar em um novo “antigo conhecimento” que será cada dia mais exigido para a eficiência em decisões nas empresas, uma vez que a Inteligência Artificial cresce e precisa amadurecer e o papel de amadurecimento da I.A. está nas mentes humana.

O Conhecimento necessário para o nosso dia a dia, já repleto de lógicas da matemática, ciências e computação combinado com as lógicas construídas do acompanhamento e observações do que acontecem nos processos e projetos orgânicos, precisarão de um upgrade com o conhecimento da lógica das decisões humanas. Questões antes aparentemente “invisíveis” começam a ter grande importância em um mundo cada vez mais ágil e produtivo. Perguntas como qual a razão do atraso de um projeto, o que fez alguém não estar inteiro em algo, como interpretar o comportamento dos clientes diante de cada novo contexto que se apresenta, o motivo de um funcionário ou executivo ter grandes ideias um dia e agir “infantilmente” em outro, as razões pelas quais não fechamos (ou fechamos) contratos, como cada um interpreta dados e fatos “do seu jeito” relevando visões de outros,  como algumas pessoas reagem bem ao novo, à insegurança, ao erro,  às questões de pré-conceitos e discriminações nas empresas, a intenção de cada pessoa, a tendência dos profissionais em não “ouvirem” o outro ou não conseguirem ter atenção suficiente em uma reunião ou ainda não conseguirem se relacionar de forma aberta, respeitosa, ética e transparente com todos os demais. Estar apto a tomar decisões eficientes entendendo melhor a “lógica” utilizada nessas questões será um fator diferencial para as empresas. O investimento nesse tema é inevitável. Cada dia perdemos mais tempo e dinheiro sem este conhecimento claro.

As questões humanas também têm lógica e também podem ser entendidas, porém não são lógicas abertas e mensuráveis na maior parte das vezes. Existe uma lógica de observações a serem feitas para que possamos questionar, investigar ou até mesmo descobrir o que está acontecendo para atuarmos de forma mais consciente e eficiente. Para isso precisamos evoluir na percepção mental e sentimental (emocional) de como respondemos ao mundo, aos outros e às situações

Os negócios precisam de um banho de ciências humanas e filosofia!

 Questões “filosóficas” não são conversas de bar ou de fim de semana. Terminologias vagas e ambíguas são comuns nos meios empresariais e o Autoconhecimento pode resolver a questão por meio da clareza e do rigor. Faz a diferença em cada decisão, independentemente do conhecimento “técnico” e da experiência de cada profissional. Muito além dos “soft skills”, precisamos entender a lógica de como decidimos, aliada à empatia e à visão mais holística do mundo. Com estes conhecimentos a conversa “aberta” fica mais coerente por meios de perguntas inteligentes aos demais participantes das decisões e claro a nós mesmos. Questionarmos nossos desejos e intenções, nossas crenças e modelos mentais antes de tomar uma decisão é fundamental. E claro associando isso à percepção das emoções e sentimentos ali evidenciados no momento decisório.

Como escrevi em outro artigo, a economia comportamental já utiliza esse tema na superfície, observando ações e reações automatizadas dos consumidores. Assim também aprendemos a “conviver em grupo”, observando a superfície da IA em cada humano. Mas para realmente aprofundarmos em eficiência em decisões temos que ir mais fundo! A ciência das decisões humanas começa lá na Antroposofia, quando entendemos a “simples” totalidade do Pensar, Sentir e Agir. A conexão entre os 3 elementos gera poder nas decisões, a desconexão, causa confusões e desperdícios. Este conhecimento “vertical” gera consciência e criatividade e, portanto, gera números no fim da linha.

Inúmeros exemplos de sucesso no mundo dos negócios não se apoiam em conhecimento técnico ou intelectual somente. Grandes líderes não explicam sua capacidade de tomar decisões incríveis muito além das lógicas visíveis por todos. Muita “sorte” no mundo vêm da percepção do invisível em nós! Muitas falências, da sua não percepção. O conhecimento “oculto” precisa ser desmascarado. E já está acontecendo.

Nunca o autoconhecimento/filosofia na prática foi tão divulgado nas redes sociais. Nunca a poderosa “criança interior” foi tão famosa. Este conhecimento nos ensina a arte de resolver problemaspensar integralmenteentender a vulnerabilidade como oportunidade para criar o novoentender nossos sentimentos e comandar nossas decisões em tempos adversos e de mudanças.

A distorção do conceito do livre arbítrio, o mundo muito além de nossas percepções superficiais.

No mergulho da minha experiência de vida e observações do mundo, ou seja, na minha visão, entendemos a “liberdade” de forma superficial. Este “presente divino” ainda não foi devidamente desembrulhado e usado. Usamos a “liberdade” com as lentes da dualidade humana e por isso acabamos fazendo o que gostamos (ou achamos que gostamos) e evitamos o que não gostamos. Porém, tal qual o bonito e o feio, o branco e o negro, o certo e o errado, o “gosto” e o “não gosto” não são partes destacadas de um todo. São absolutamente parte de uma composição maior, uma unidade mesmo, porém, se tornaram afastados e polarizados por crenças e modelos mentais que não conseguem sobreviver na totalidade da existência. Se a abundância incomoda, a escassez comanda. Liberdade, ou livre arbítrio, é a arte de poder tomar decisões que funcionam para cada contexto, produzindo saúde mental, física e espiritual em cada decisão. Tipo fazer o que precisar ser feito quando é necessário para um resultado integral, individual e coletivo, ao mesmo tempo. Essa liberdade somente acontece quando mergulhamos na lógica de nossas decisões, nas ciências humanas e filosofia. Com esse poderoso significado de liberdade podemos co-criar resultados jamais atingidos no mundo.

Liberdade é o grau de independência que temos dos nossos modelos de decisões inconscientes e a total conexão com a abundância e a saúde, em todos os sentidos!

Que você seja livre!

SAÚDE E CONSCIÊNCIA, O RESTO VEM NA SEQUÊNCIA!

Fonte: por Fernando Manfio*, publicado originalmente em 15.07.2021

*EXECUTIVO DA FICO, MEMBRO DO OPEN MIND BRAZIL