Presidente da China busca aprofundar relações comerciais com o Brasil

China é principal parceiro comercial.

Ao encontrar-se com o vice-presidente Hamilton Mourão, o presidente da China, Xi Jinping, disse buscar uma maior aproximação entre os 2 países

O presidente da China, Xi Jinping, objetiva aumentar as relações comerciais entre o país asiático e o Brasil. Ele encontrou-se na 6ª feira (24.mai.2019) com o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, e sugeriu que uma maior aproximação entre os 2 países aumentaria os respectivos desenvolvimentos.

As informações foram divulgadas em comunicado pelo Ministério das Relações Exteriores da China.

Os 2 lados devem continuar a considerar firmemente uns aos outros como oportunidades e parceiros para o seu próprio desenvolvimento, a respeitar-se mutuamente, confiar uns nos outros, apoiar-se mutuamente e construir as relações China-Brasil como modelo de solidariedade e cooperação entre os países em desenvolvimento“, disse Xi Jinping.

Ao receber Mourão no Grande Salão do Povo, em Pequim, o presidente chinês disse que a parceria estratégica entre Brasil e China está em 1 “momento crucial“. “Acredito que a cooperação China-Brasil certamente irá evoluir para perspectivas mais amplas“, disse Xi.

Mourão ressaltou a importância do país asiático como principal parceiro comercial do Brasil, além de ter ressaltado a importância da economia chinesa para o crescimento global. “O Brasil está disposto a trabalhar de perto com a China em trocas de alto nível, aprofundar a cooperação e a amizade, e andar de mãos dadas com a China”, afirmou.

Segundo o vice-presidente, a economia brasileira também está disposta a trazer a integração no programa de parceria de investimentos que englobe a iniciativa chinesa “belt and road“, que tem como objetivo realizar investimentos em infraestrutura, como em energia, portos e ferrovias.

Na última 5ª (22.mai), quando participou de reunião da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (Cosban), ao lado do vice-presidente da China, Wang Qishan, o vice-presidente da República mencionou a importância de diversificar as exportações brasileiras  com produtos que representem, na balança comercial, maior valor agregado.

A China continuará a crescer acima da média mundial e sua demanda por alimentos, por exemplo, deverá crescer de 11% a 13% até 2030. Iremos trabalhar para ampliar e diversificar as exportações brasileiras com maior valor agregado. Aumentar o volume e redirecionar os investimentos chineses para áreas de interesse do Brasil e aprofundar a cooperação em ciência, tecnologia e inovação“, disse, na ocasião, Mourão.

Em 2018, a soja foi o principal produto exportado pelo Brasil para a China, sendo seguido por óleo bruto de petróleo e minério de ferro. No total, no ano passado, o mercado brasileiro exportou o equivalente a US$ 64,2 bilhões em bens comerciais e importou, no mesmo período, US$ 34,7, com superavit de US$ 29,4 bilhões na balança comercial.

Fonte: por Poder 360 em 26.05.2019.

2019-07-21T20:25:10-03:0024/07/2019|China|Nenhum Comentário
Translate »