Quadrigas Romanas

O caminho que estamos percorrendo a indústria de Crédito e Cobrança é inevitável e sem retorno. É certo que em muito pouco tempo, não sabemos dimensionar ainda, mas a indústria de cobrança passará por incríveis transformações e nascerá uma nova forma de fazer cobrança.

No entanto, sua essência permanecerá a mesma.  As duas principais variáveis para se obter sucesso na recuperação de crédito, foram, são e serão:

  1. Localizar o devedor
  2. Ele querer pagar.

Mas enquanto “ Seu lobo não vem”, os métodos e processos dentro da indústria de cobrança ainda são os mesmos.

99% do sucesso em cobrança chama-se transpiração e 1% inspiração, pelos menos é que diz gente muito experiente nesse mercado. Podemos até não concordar com essa afirmativa, mas é prudente respeitá-la.

Recentemente na realização de trabalhos junto a parceiros (assessoria de cobrança) na gestão de grandes carteiras, vivenciei na pele como o método das “quadrigas romanas” é surpreendentemente eficiente.

Desafio:

O primeiro desafio foi conciliar as expectativas dos colaboradores com as da empresa.

Grande número de reclamações por parte dos operadores sobre benefícios de alguns em detrimento de outros.

Como quebrar a argumentação e as panelinhas??

Simples: Separar os clientes por operadores e verificar se o perfil da dívida era parecido.

Bingo!!!

Toda a argumentação de favorecimento foi por agua abaixo.

Na sequência, separar as melhores performances das piores, ouvir ligações por amostragem e entender o que a melhor performance estava fazendo e a pior não.

Bingo ao quadrado!!!!

O que fazer: Colocamos a equipe mais veloz e a mais forte para correr juntas, conseguindo equilíbrio nas negociações e argumentações junto aos clientes localizados.

Melhora de dois dígitos percentuais na recuperação, sem elevar custos. Maiores detalhes, estarei à disposição para esclarecer.


Um dos grandes campeões de quadrigas, esporte muito popular na roma antiga foi Caio Diocles, e o segredo de suas vitorias consistia em colocar os cavalos velozes nas pontas das quadrigas  e os mais fortes  no meio para dar equilíbrio.

As corridas de quadrigas de Roma Antiga foram herdadas dos gregos e dos etruscos.

Era um desporto muito popular, mas também muito perigoso, para cavalos e para os quadrigários: ocorriam muitos acidentes e até mortes durante as corridas no circo.

Podia haver até vinte e quatro corridas num circo diariamente. Muitas vezes, os quadrigários colidiam contra os oponentes, tentando forçá-los a colidir com a barreira central.

Uma corrida típica no Circo Máximo teria até 12 equipes de quadrigários. Cada quadriga era puxada por 4 cavalos, correndo uma distância de 6,4 km. Havia quatro equipes principais: vermelha, branca, verde e azul, em que as duas ultimas são mais destacadas. 

O quadrigário mais famoso de Roma, Caio Apuleio Diocles, venceu 1462 das 4257 corridas em que participou. Reformou-se aos 42 anos, tendo acumulado ganhos de 35863120 sestércios, cerca de 11 mil milhões de euros, tornando-se o atleta mais bem pago da história.


Na maioria das vezes as soluções para problemas que parecem complexos, são muito simples quando se tem informações e inteligência para saber o que fazer com elas.

Longe de tecer duras críticas, mesmo com toda a modernidade que o mundo de cobrança vem atravessando e a qual terá que obrigatoriamente se adequar,  são escassos os profissionais com experiência, inteligência e coragem para enfrentar os desafios diários que se apresentam.

E um dos mais comuns é o medo de enfrentar uma operação.

Fonte: Por Manoel de Moraes, para CollBusiness News em 19.02.2018

 

2018-02-19T21:43:01-03:0019/02/2018|Crédito&Cobrança|Nenhum Comentário
Translate »