A reinvenção do homem: estamos ou somos conectados?

by  SAULO ANDRADE 

 

 “O homem cria as ferramentas e, subsequentemente, as ferramentas recriam o homem”. – Marshall McLuhan                                                                                                                                           

Todos nós estudamos pela história que a primeira ferramenta dominada pelo homem que alavancou a evolução do ser humano foi o fogo. Logo, o Marshall Luchan teve total razão ao afirmar que as ferramentas criadas pelo homem recriam-no, pois nesse caso o homem criou o fogo e o fogo recriou o homem. E após a sociedade se reinventar através de diversas revoluções, entramos na Revolução da Tecnologia e nenhuma tecnologia criada foi neutra. Ela trouxe benefícios à sociedade, porém em contrapartida também causou malefícios. Daí a necessidade de estarmos antenados em todo tipo de tecnologia, porque ela certamente irá afetar nossas vidas. Entretanto, acompanhar todas as transformações tecnológicas que ocorrem é praticamente impossível. Você se lembra quando você usava o Orkut e deparou-se com o crescimento do Facebook? A necessidade de ser parte do grupo deixava uma pergunta no ar: Por que eu preciso estar em uma nova rede social? Você se sente mal ou desconfia de alguém que não está inserido na mídia social que você ingressou? Por que vivemos ansiosos por uma nova notificação, uma marcação em uma foto, uma mensagem ou um novo contato? Por que há certa necessidade, leia-se vício, de estar online o dia todo?

Pessoas diferentes… Advindas de lugares diferentes… Com histórias diferentes… Vendo de diferentes ângulos… Pensando coisas diferentes… Encontram-se em uma plataforma onde se deparam com iguais, descobrindo causas, formando comunidades, grupos promovendo revoluções, mudando a própria história, mudando realidades… Essa é a verdadeira magia das redes sociais! Esse encontro de diferentes no mundo de iguais acarreta numa difusão de novas ferramentas, novos conhecimentos, novas oportunidades e o resultado é que nos tornamos multifuncionais. E as novas ideias surgem não mais de gênios, inventores e passam a ser formadas por pessoas normais em colaboração, conforme o vídeo abaixo:

Essas tecnologias digitais afetam as relações humanas de tal forma que há certa vigilância no que você curte, comenta, compartilha e posta. Em algum momento você já se sentiu vigiado? Cada vez mais as mídias digitais proporcionam essa quebra de privacidade e tem chamado a atenção para “Você é o que você compartilha”. Você já experimentou passar pelo menos 1 dia sem usar mídias sociais, ter visitado amigos, lugares, ter se dado esse tempo, numa desconexão para desintoxicação do vício das mídias digitais?  Com essa dispersão de novas tecnologias estamos nos tornando cada vez mais digitais, passamos de estar conectado para ser conectado. A nossa própria existência se amplia para nossos perfis no Orkut, Twitter, LinkedIn, Facebook, etc. Quanto mais conexões mais nos tornamos híbridos tal como Martha Gabriel afirma “Cada vez mais estamos distribuídos fora do nosso corpo. Mais da metade do meu cérebro está no computador e na internet”. É quase como dizer “Nossa, estou viciado em internet. Isso está arruinando minha saúde, minha vida social, meu trabalho/estudos. Ah, já sei, vou procurar informações no Google”.

Devemos atentar para os relacionamentos com o pensamento de a principal responsabilidade que temos uns com os outros é cultivar e construir autoestima e confiança.

Não lembramos mais de informações, mas lembramos de onde encontrá-las, fenômeno que foi batizado de “Google Effect”. Saber se a internet e as mídias sociais proporcionam mais bens do que males ainda será fruto de diversos estudos, assim acredito. Por isso que chamo a atenção de estarmos em constante vigilância sobre como o uso dessas ferramentas estão afetando nossas vidas, seja positiva seja negativamente. Como sempre destaco o uso das mídias sociais e as interações causadas nessa plataforma exige bom senso por parte de cada usuário. Devemos atentar para os relacionamentos com o pensamento de a principal responsabilidade que temos uns com os outros é cultivar e construir autoestima e confiança. Reflitam como está o uso das mídias sociais e como ela está afetando você nas mais diversas esferas da vida ou sua marca que está sendo exposta e alvo de críticas, reclamações pelo consumidor. Utilizem essas ferramentas com bom senso e autocrítica e nunca se esqueçam: Não afastem pessoas próximas para aproximar as que estão afastadas. Estamos conectados!00

2017-12-14T10:49:20-03:0018/09/2017|Mundo Digital|Nenhum Comentário
Translate »