Rejuvenescimento granular – até onde vai o foco das empresas?

Quero aprofundar com vocês uma leitura sobre o cenário atual da relação entre empresas e liderança.

A aceleração da disruptura tecnológica somado aos valores das novas gerações de “clientes internos” e as novas maneiras de fazer entregas, como o agile, tem guiado o mundo corporativo num esforço constante de buscar o rejuvenescimento de sua forma de ser.  Isso tem me levado a observar duas situações que são algumas das consequências do momento: empresas com dificuldade de atrair talentos (a boa e velha mão de obra) e empresas perseguindo alcançar o posto de melhores empresas para se trabalhar, sonhando com relações de candidatos que podem chegar em 3 ou mais dígitos por vaga disponível. Nada de errado até aí, mas coloco uma pitada a mais nesta conversa: aonde entra o papel do líder – em todos os níveis, neste novo momento das corporações?

Então, de que adiantará tanto esforço de investimento em imagem, benefícios e espaços arrojados, se as lideranças não estiverem preparadas para lidar com a modernização? Adiantará buscar filas de candidatos, se um líder pode ter influência inversa sobre uma célula, área ou departamento? Esse, a meu ver, é o conceito que chamo de Rejuvenescimento Granular, um olhar dedicado a atualização da liderança que está em todos os endereços. O desenvolvimento humano neste contexto.

Exemplos simples: na transformação digital, não saber é natural – buscar o conhecimento é obrigação. Em metodologias ágeis, o conhecimento não está em hierarquias padrões, tirar proveito do potencial de cada indivíduo em exercício multidisciplinar é o “x” da questão. A descentralização do conhecimento empurra ainda mais o empowerment.

Convivo, converso, leio e observo muito o tema liderança. Além de gostar muito, não é novidade meu esforço e minha missão pessoal em reforçar o entendimento do líder como um exemplo, um espelho para quem o segue – atos, comportamento, espírito, formas de conduzir momentos alegres e difíceis, integração de pessoas, dentre outros.

Deixo esta provocação positiva para que avaliem e reflitam, em todos as esferas, a atenção que está sendo dedicada às lideranças, que, de grão em grão, departamento em departamento, também tem a força de transformar o negócio!

Fonte: por Chieko Aoki*, para Linkedin em 13.06.2018.

*Presidente na Blue Tree Hotels.

2018-08-07T15:46:28-03:0025/07/2018|Capital Humano|Nenhum Comentário
Translate »