Satisfeito ou acomodado? Se precisar mudar, mude logo.

Existe uma diferença imensa entre estar satisfeito e estar acomodado. A satisfação consiste em, conscientemente, abrir mão de algumas coisas, não ter interesse em desbravar novos caminhos, acreditar que alcançou seus objetivos e, ainda assim, sentir-se plenamente feliz. Já a acomodação, mantem a pessoa presa à zona de conforto. Geralmente, seus sintomas envolvem tristeza, arrependimentos, dúvidas, irritação e inquietação. Basicamente, a permanência na zona de conforto é causada por 4 fatores, o primeiro é a preguiça, caracterizada por um estado de cansaço, desinteresse, depressão, ansiedade, culpa ou desmotivação. O segundo fator é a arrogância, quando o indivíduo se sente tão completo que dispensa o aprendizado ou qualquer tipo de aprimoramento. O terceiro aspecto é o medo, seja do desconhecido, das incertezas, dos riscos ou de não estar no controle da situação. O quarto fator é a miopia, ou seja, a falta de percepção sobre as consequências das atitudes e comportamentos no médio e longo prazo.

A autoanálise pode ajudar você entender, seja por um ou mais fatores, se há acomodação. Agora pense nos sintomas abaixo e identifique se algo precisa ser mudado.

Proposito, quando não há um consenso entre a razão e a emoção, fica difícil enxergar possibilidades e alimentar a automotivação. Muitos simplesmente não encontram um sentido real para a vida, sua missão no trabalho e no mundo. Por isso, acabam estagnados, dentro da tal zona de conforto.

Procrastinação, mentir para si mesmo, insistir em justificativas completamente inventadas e adiar decisões importantes ou início de novos projetos. Fique atento este é um forte sinal de acomodação.

Resignação representada por frases como: as coisas são assim mesmo ou não há o que fazer, seguramente isso não faz parte das pessoas ativas.

Injustiça é um dos sintomas que as pessoas têm mais dificuldade em detectar. Percalços do cotidiano são sempre usados como desculpas por quem vive uma vida de pretextos. Seja o gestor que não reconheceu seu talento, o mercado que está saturado, os subordinados que não são suficientemente competentes, a falta de suporte da família ou as dificuldades financeiras: as mudanças só acontecem quando o indivíduo deixa de lado a postura de injustiçado e começa a agir, com foco e perseverança.

Desistência ocorre depois de algumas tentativas frustradas, mas chega muito mais rápido para as pessoas acomodadas destruindo qualquer possibilidade de avanço.

Algumas atitudes são fundamentais para mantê-lo longe da zona de conforto evite deslizes e novas fases de estagnação:

Valorize seu talento e fortaleça a autoconfiança explorando todo seu potencial. Nesse caso o autoconhecimento é absolutamente necessário tanto para identificar as habilidades, competências e aptidões como também para perceber as fraquezas que precisam ser trabalhadas.

Invista no aprendizado contínuo. Conhecimentos técnicos, gerenciais e comportamentais colaboram bastante para o crescimento profissional. Garanta a atualização perante os acontecimentos que envolvem o mercado e o mundo.

Participe de grupos de trabalho e desenvolvimento troque opiniões e experiências, facilitando o networking e permitindo a construção de uma visão mais abrangente sobre diversos temas. E como esses grupos incentivam o pensamento é fundamental para quem não quer voltar para a zona de conforto.

Fuja dos sabotadores. Vícios, comportamentos negativos e atitudes restritivas têm o poder de destruir carreiras, relacionamentos e negócios. Conheça o que te mantêm acorrentado a velhos hábitos e conceitos, impedindo mudanças verdadeiramente positivas. Os sabotadores internos surgem na forma de resistência, medo e dúvida. Mas existem também os sabotadores externos, indivíduos pessimistas, inseguros ou gananciosos que contaminam o ambiente e todos que estão à sua volta, podem ser familiares, amigos, colegas de trabalho ou até mesmo líderes negativos, que muitas vezes sequer compreendem os danos causados por sua postura limitante.

Revise seus planos, as prioridades sempre sofrem alterações. Todo profissional está sujeito a propostas inesperadas e surpresas. Da mesma forma, é normal que, com o passar dos anos, a ambição por cargos pode ser substituída pelo desejo de ter mais tempo com a família, por exemplo, ou o espírito empreendedor pode ganhar mais força, fundamentado em valores e crenças. Todas essas variáveis precisam ser consideradas e ajustes no planejamento original são sinais de conscientização das próprias vontades.

Lembre-se, sair da zona de conforto é deixar para trás as crenças limitantes, os medos, os sabotadores e as ameaças, dando lugar à curiosidade, à inventividade e à vontade de encontrar satisfação no trabalho e na vida. Provoque-se e mude o que precisa ser mudado.

Excelente trabalho a todos!!!

Fonte: por Daisy Blanco, para CollBusiness News, em 22.03.2018

2018-03-22T14:10:19-03:0022/03/2018|Capital Humano|Nenhum Comentário
Translate »