A cobrança digital chegou, chegou de vez e agora não tem mais volta. Empresas que mantinham o freio tecnológico acionado precisam correr atrás do prejuízo e, para os que nada fizeram, devem iniciar sua transformação urgentemente para atender as exigências de um mercado pulsante sob o comando de novos consumidores e modelos de negócios.

Um elemento chave em qualquer aplicação de inteligência artificial é o conhecimento. Conhecimento é também informação que foi organizada e analisada de modo a torná-la compreensível e aplicável à solução de problemas e tomada de decisões. Com isso, nas empresas, os pilares PROCESSOS e PESSOAS precisam retroalimentar-se ciclicamente.

As habilidades e atitudes da força de trabalho devem direcionar a organização das informações para fluxos e processos inteligentes, ter análises e respostas rápidas para tomada de decisão e consequentemente assertividade nas ações. Assim, para qualquer lugar que se olhe dentro desse contexto o foco sempre será o cliente e o meio para atender as suas expectativas será a comunicação clara e objetiva.

Então, sob as cinco vértices do conhecimento: Organização de Fluxos e Processos, Rapidez na Tomada de Decisão, Assertividade das ações, Foco no Cliente e Comunicação Clara e Objetiva, deverá o profissional complementar seu perfil tal qual o papel da empresa no mercado e esta, por sua vez, afirmar seus serviços através do desenvolvimento e desempenho de seus colaboradores.

Como preparar as pessoas para unirem-se ao papel da empresa?

Promovendo o autoconhecimento e o autodesenvolvimento. Este é o momento em que treinamentos mais tradicionais darão espaço ao coaching realizado com indivíduos e equipes. Com isso, a empresa definirá por uma análise mais criteriosa sobre as potencialidades do seu colaborador e times, aumentando a percepção de como podem contribuir com o todo e sobretudo conduzindo-os a colocar a energia certa no local exato, contribuindo para insights e modelagem de novos serviços.

Envolver as pessoas através da compreensão do momento, do mercado e do ambiente organizacional também será fundamental para promover maior abertura ao diálogo, ouvindo e manifestando com criticidade as ideias e necessidades, consolidando a equipe em torno do propósito e entregas que precisam ser feitas pela empresa.

Importante também, durante esse processo, ampliar o repertório de estratégias, ferramentas e soluções para lidar com questões do dia a dia, assim como, o aumento da cooperação, do engajamento e do trabalho em equipe, possibilitando a atuação do profissional com mais foco e agilidade, caminho certo para a construção de resultados.

Destaco os 5 pontos abaixo para nortear o processo do coaching:

  1. Definir o propósito e o papel de cada um no “trabalho a ser realizado”
  2. Estabelecer confiança e aumentar a credibilidade nos membros do time
  3. Atuar com comunicação assertiva e vigorosa
  1. Criar um vínculo estratégico entre o trabalho da equipe e as metas da empresa
  2. Provocar mudanças positivas motivando a todos a oferecerem o seu melhor

Por fim, comungo a ideia de que tanto a empresa como o profissional devem estar propícios a realização do coaching. Será um desafio e um estado de construção conjunta, de forma que os acertos e os erros se tornem potenciadores de crescimento, e para que seja possível agregar valor para a empresa ao mesmo tempo que promove o desenvolvimento individual e dos times.

Excelente trabalho a todos!!!

Fonte: por Daisy Blanco, para CollBusiness News, em 19.06.2020